segunda-feira, 18 de julho de 2011

Mais preparo do profissional, mais qualidade de vida do idoso

Os profissionais de saúde devem se capacitar para cuidar do idoso

Os problemas dos idosos também são problemas de família. A previsão do gerontologista e professor Antero Coelho Neto é que em 2050, mais da metade dos brasileiros seja idosa

 O Alzheimer e o Parkinson já são problemas de saúde pública. O número de pessoas com mais de 60 anos hoje, no País, é de mais de 21 milhões. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no censo demográfico 2010. Num universo de mais de 190 milhões de habitantes, o número representa mais de 10% da população. 

Gerontologista e professor de medicina da UFC, Antero Coelho Neto calcula que, em cerca de 40 anos, a quantidade de idosos no Brasil deve se igualar à de jovens e adultos. E o País não vem se preparando para essa breve e urgente realidade. “Tem o hospital da criança, da mulher, mas ninguém fala em hospital do idoso”, adverte. Aos 84 anos, o professor e diretor da Academia Cearense de Medicina dedica-se hoje ao estudo das implicações sociais, psicológicas e biológicas do envelhecimento.

“O sistema de saúde não tem desenvolvido políticas públicas de saúde para fazer face a esse problema”, delimita o geriatra João Macêdo, também professor da UFC, do Instituto de Geriatria e Gerontologia do Ceará. A falta de preparo tem tirado o sono do médico. Se hoje o número de idosos com Alzheimer é de 7% da população com mais de 60 anos, muito em breve, essa e outras doenças típicas do envelhecimento devem trazer grandes problemas para a saúde pública. Justamente pela falta de planejamento. Em Fortaleza, de acordo com João Macêdo, a quantidade de idosos com Alzheimer chega a 21 mil.

O que falta na rede pública não é somente condições estruturais. Também está em baixa a conscientização e capacitação dos profissionais de saúde. “Há até pouco tempo, o cuidado de idosos não ocupava posição tão importante nas práticas de saúde. Os profissionais achavam mesmo que toda doença de idoso era sem jeito, não tinha mesmo mais nada para fazer. Então, o cuidado do idoso no âmbito do sistema saúde ficava meio marginal”, pontua o geriatra João Macêdo.


O problema do idoso geralmente é um problema que influencia toda a família, como classifica o gerontologista Antero Coelho Neto. O atendimento que o médico realiza não é direcionado à pessoa da terceira idade, mas aos parentes e cuidadores dos pacientes. “Muitos portadores vivem muitos anos. E, de certa forma, isso condiciona um transtorno muito grande para a família, porque ela nem sempre está preparada, não sabe o que é, não se conscientiza da gravidade, não tem consciência de como poderá evitar os problemas futuros”, assinala. O papel do gerontologista se inicia justamente aí: o profissional explica que mudanças e adaptações são necessárias para uma qualidade de vida. “Basicamente, é atenção, paciência e amor”, conta. (Angélica Feitosa)
Por muito tempo, segundo ele, criou-se a ideia de que quem cuidava de idoso eram profissionais desqualificados, de categoria inferior. “E hoje sabemos que não é verdade. As doenças não são inexoráveis do envelhecimento, porque nem todos vão ter Alzheimer”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Loading...

OUTROS VÍDEOS SUGERIDOS PELA QUALITAS VITAE

Comemorando 35 anos de Globo Repórter, a maioria dos brasileiros escolheu como tema a reportagem: Saúde e Qualidade de Vida. Matéria sobre obesidade - Globo Repórter. Quanto mais equilibrada for a vida de um profissional, melhor será a sua performance profissional. Além disso, a sua identidade não estará baseada apenas em seu trabalho, mas também em outros aspectos vitais para a sua realização.

Dicas para reduzir calorias

Legumes e grelhados podem ser consumidos sem pão ou torradinhas. Escolha a massa com molho de tomate e uma proteína. No japonês, fique longe de opções fritas ou empanadas. Já na churrascaria, o ideal é começar pelas saladas.

Saiba quanto você precisa correr por semana para perder calorias.

A corrida é uma boa opção para quem quer emagrecer rápido. Um pessoa que pesa entre 60 e 70 quilos pode perder entre 500 e 600 calorias se correr durante uma hora. É importante passar por uma consulta médica antes do exercício.

Exercício em casa ou no parque aumenta tempo e qualidade de vida.

O exercício físico regular pode aumentar o tempo e a qualidade de vida de uma pessoa. O preparador físico José Rubens D'Elia mostra que é possível praticar exercícios em parques, na vizinhança ou em casa, com uma academia particular.

Médico dá mais algumas dicas saudáveis e baratas.

Dicas para levarmos uma vida mais saudável sem gastar muito para isso. Depois do programa, ele respondeu perguntas enviadas pela internet e deu outras sugestões.

Confira uma série de exercícios para melhorar o equilíbrio

O preparador físico José Rubens D'Elia mostra exercícios que podem ser feitos em casa e ajudam a melhorar o equilíbrio corporal.

Aprenda a comer bem e se manter saudável.

Um dos sinônimos de felicidade para todos é a saúde. Uma das formas de manter o metabolismo equilibrado e ainda garantir qualidade de vida é acertar na alimentação.

Dicas para melhorar a alimentação de crianças e adolescentes

As refeições devem ser adequadas às atividades ao longo do dia, evitando guloseimas e refrigerantes. A má alimentação pode causar cansaço, sonolência, apatia e irritação.

Pele deve receber cuidados especiais de acordo com a idade.

Na adolescência, o principal problema são as espinhas. Dos 20 aos 40 anos, a pele começa a perder a capacidade de regeneração e podem surgir manchas. Entre os 40 e os 60 anos, ocorre uma perda da elasticidade da pele e o contorno da face muda.

Transport é um dos aparelhos de maior sucesso nas academias.

Uma pessoa de aproximadamente 70 quilos pode queimar 300 calorias em 40 minutos em um ritmo mais leve. O exercício não provoca impacto nos joelhos.